Com cérebro repleto de larvas, mulher passa por cirurgia de emergência
Suki-Jane Taylor, de 42 anos, passou por uma cirurgia de emergência depois que seu cérebro ficou repleto de larvas de tênia.
A mãe de quatro crianças, que mora em Londres, Inglaterra, foi diagnosticada com neurocisticercose em 2009, uma infecção do sistema nervoso central, causada por ovos de tênia do porco.
A pessoa é infectada, geralmente, quando ingere alimentos que contêm esses ovos, água ou superfícies que foram contaminadas com fezes, segundo o site Daily Mail.
Essas larvas ficaram locadas no cérebro de Suki formando cistos. Quando eles começaram a morrer, eles desenvolveram um aneurisma do tamanho de uma tangerina no cérebro da mulher.
Suki foi levada às pressas a hospital e durante os exames foi revelado que um vaso sanguíneo estava bastante inchado.
Durante a cirurgia, os médicos inseriram um tubo em seu crânio para drenar um acúmulo de fluído. Como consequência, Suki sofreu a perda dos sentidos gustativo e olfativo. Além disso, ela também tem epilepsia e depressão.
Doença
A neurocisticercose é uma doença rara em países desenvolvidos, causando apenas 24 casos por ano no Reino Unido e 1.500 casos nos EUA.
Ela é contraída pela ingestão de ovos que são eliminados por uma pessoa que tem tênia intestinal. Uma vez ingerida, as larvas incorporam nos tecidos, incluindo o cérebro, formando cisticercos. Estes podem causar convulsões, dores de cabeça, confusão mental, dificuldade de equilíbrio e excesso de líquido ao redor do cérebro (hidrocefalia). Se não for tratada, a doença pode levar a pessoa à morte.
Os sintomas podem se desenvolver durante meses ou até anos após a infecção, geralmente quando os cistos estão em processo de morrer. Por isso é quase impossível para um paciente saber quando pegou.
Essas infecções são geralmente tratadas com antiparasitários junto com anti-inflamatórios. Cirurgia, às vezes, é necessário para o tratamento de cistos em determinados locais.